Conselhos de Aod Cunha para enfrentar a crise

Economista e conselheiro Aod Cunha trouxe sua visão sobre como empresas podem enfrentar a crise em conversa com Nexo Governança Corporativa

 

Em uma conversa virtual que reuniu 29 pessoas na tarde de 21 de maio, Aod Cunha, economista e conselheiro de administração compartilhou sua visão sobre o cenário global e brasileiro da economia diante do coronavírus e também sua visão, a partir da participação em alguns importantes conselhos, de como se preparar e agir nesse momento. “Nem todas as empresas irão sobreviver, é importante ter estratégia, resiliência emocional e observar oportunidades. Não há crise que não passe”, disse. Observando um histórico de 17 ciclos de crise e crescimento nos últimos 100 anos, Cunha avalia que essa tormenta de agora é incomum. “É uma crise de oferta e demanda ao mesmo tempo, uma crise que pode ser longa, com recuperação lenta”, avalia.

 

Três pontos são apontados por Aod Cunha como primordiais para que as empresas enfrentem a situação. Primeiro, boa gestão de caixa, com foco e disciplina, projetando diversos cenários e ajustando a estratégia cotidianamente com a observação de uma situação que muda toda hora. Segundo, manter conversas transparentes e frequentes com todos os stakeholders, incorporando o feedback no plano de ação. Por fim, apesar de desafiador em um momento em que a sobrevivência é a meta do dia, é importante dedicar tempo para análise de oportunidades, que sempre surgem em tempos de crise. O economista ressalta ainda que mais do que nunca é importante olhar as mudanças de comportamento do mercado e do consumidor, inclusive mudanças estruturais. “As empresas devem repensar seu modelo.” O conselheiro também evidenciou que as empresas precisam   buscar aderência ao tema de ESG (Environmental, Social and Governance, que seriam questões de meio ambiente, responsabilidade social e governança), cada vez mais relevante inclusive para análise de crédito. Perguntado sobre como avalia o modelo de distanciamento controlado proposto pelo governo do Rio Grande do Sul para o enfrentamento da pandemia, Cunha considera um bom modelo, embora muito esteja fora do controle dos governos ou das empresas. Ainda assim considera acertada a construção de indicadores para as tomadas de decisão e seus monitoramentos.

 

Aod Cunha participa do conselho de empresas como Gerdau, Grupo Cornélio Brennand, Agibank e Grupo Vibra, e foi secretário da Fazenda do RS no governo Yeda Crusius, e conversou por cerca de uma hora com os integrantes e convidados do Nexo Governança Corporativa, associação criada por fundadores e sucessores de empresas familiares para promover boas práticas de governança corporativa, formação pessoal e profissional de novas lideranças, empreendedorismo e inovação. Com sede em Novo Hamburgo/RS, o Nexo desenvolve atividades de capacitação, debates e painéis com autoridades e profissionais de referência em suas áreas.

 

A conversa com Aod Cunha gerou um episódio especial do NexoCast, que pode ser escutado aqui:

http://nexogc.com.br/NexoCast/21/NexoCast-05-%E2%80%93-Aod-Cunha-e-o-papel-dos-conselhos-para-enfrentamento-da-crise

 


Curta e compartilhe:

Comenta aí, o que você achou desse conteúdo?

Confira também:

“Tenho paixão pela companhia”

Antonio Kandir e as sete diretrizes para os conselhos

Café da Manhã sobre sucessão ADIADO